Coleção de Audiolivros Guia Politicamente Incorreto

Sua estante nunca foi tão irônica, provocadora e bem humorada...
Contrariando todas as regras e modelos de comportamento impostos pelo chamado "politicamente correto", a LeYa apresenta a contestação que faltava nas prateleiras: coleção Guias Politicamente Incorretos. Grandes sucessos editoriais, tantas vezes copiados, mas nunca igualados, pela primeira vez reunidos num só volume.

R$ 14,99

-24.9%

R$ 19,96

Descrição desta Coleção

Chegou a coleção de audiolivros Politicamente Incorreto! Sua estante nunca foi tão irônica, provocadora e bem humorada...
Contrariando todas as regras e modelos de comportamento impostos pelo chamado "politicamente correto", a LeYa apresenta a contestação que faltava nas prateleiras: coleção de audiolivros dos Guias Politicamente Incorretos. Grandes sucessos editoriais, tantas vezes copiados, mas nunca igualados, pela primeira vez reunidos num só volume contendo:

Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil
Guia Politicamente Incorreto da História da América Latina
Guia Politicamente Incorreto do Futebol
Guia Politicamente Incorreto da Filosofia

Escritos com irreverência, mas sem deixar de lado o rigor e a verificação dos fatos, os guias trazem perspectivas nem sempre confortáveis sobre mitos históricos, perfis pouco abonadores de figuras públicas, informações não difundidas sobre os mais diversos temas, e muita polêmica, ao confrontar as ideias estabelecidas pelo senso comum em temas como sexo, filosofia, economia ou música. Suas certezas não serão mais as mesmas após o mergulho nessa leitura.

Conteúdo da Coleção

É hora de jogar tomates na historiografia politicamente correta. Este guia reúne histórias que vão diretamente contra ela.


É hora de jogar tomates na historiografia politicamente correta. Este guia reúne histórias que vão diretamente contra ela.

Só erros das vítimas e dos heróis da bondade, só virtudes dos considerados vilões.

Alguém poderá dizer que se trata do mesmo esforço dos historiadores militantes, só que na direção oposta.

É verdade. Quer dizer, mais ou menos.

A COLEÇÃO GUIA POLITICAMENTE INCORRETO ESCOLHE SEU NOVO ALVO: O FALSO HERÓI LATINO-AMERICANO “Tudo neste audiolivro é contra as regras batidas com as quais se conta a história da América Latina.


A COLEÇÃO GUIA POLITICAMENTE INCORRETO ESCOLHE SEU NOVO ALVO: O FALSO HERÓI LATINO-AMERICANO “Tudo neste audiolivro é contra as regras batidas com as quais se conta a história da América Latina. Não nos sentimos representados por guerrilheiros ou por indignados líderes andinos e suas roupas coloridas. Não há aqui destaque para veias abertas do continente, mas para feridas devidamente tratadas e curadas com a ajuda de grandes potências. Conhecemos bem as tragédias que nossos antepassados índios e negros sofreram – mas, honestamente, estamos cansados de falar sobre elas. E acreditamos que todos os povos passaram por desgraças semelhantes, inclusive aqueles que muitos de nós adoram acusar. Na história de quase todo país, é comum abrilhantar as palavras de figuras públicas e até inventar virtudes de seu caráter – e não passa de chatice ficar insistindo numa realidade menos interessante. Acontece que na América Latina se vai além: escolhem-se como heróis justamente os homens que mais atrapalharam a política, mais arruinaram a economia, mais perseguiram os cidadãos. Por isso, não há como escapar: é ele, o falso herói latino-americano, o principal alvo deste livro.” Com o mesmo propósito do livro anterior, Guia Politicamente Incorreto da América Latina é contra regras batidas para se contar a história. E o falso herói latino-americano é o principal alvo deste audiolivro.

Dividido por temas, a obra se baseia em conceitos defendidos por grandes filósofos do mundo inteiro para abordar assuntos como capitalismo, religião, mulheres, instintos humanos, preconceito, felicidade e covardia.


Dividido por temas, a obra se baseia em conceitos defendidos por grandes filósofos do mundo inteiro para abordar assuntos como capitalismo, religião, mulheres, instintos humanos, preconceito, felicidade e covardia. Se até o aeroporto se tornou um churrasco na laje, o futuro mais otimista para o mundo é ser brega. O "Guia Politicamente Incorreto da Filosofia" não é um livro sobre a história da filosofia, mas sim um ensaio sobre a filosofia do cotidiano. Luiz Felipe Pondé, o pecador irônico, confessa uma mentira moral e universal na sociedade: o politicamente correto. Porque no fundo, você sabe que também achou graça na piada do seu amigo.

O jeito mais fácil de parecer especialista em futebol é repetir ideias com as quais quase tudo mundo concorda. Seleção brasileira de 82? Basta dizer que 'foi a melhor que já tivemos, apesar de não ter conquistado o Mundial' e pronto - a turma do sofá vai te passar uma latinha e te olhar com respeito durante o jogo.


O jeito mais fácil de parecer especialista em futebol é repetir ideias com as quais quase tudo mundo concorda. Seleção brasileira de 82? Basta dizer que 'foi a melhor que já tivemos, apesar de não ter conquistado o Mundial' e pronto - a turma do sofá vai te passar uma latinha e te olhar com respeito durante o jogo. Também é assim quando se fala sobre o Ricardo Teixeira ('Frio, mesquinho, sem escrúpulos!') ou o Galvão Bueno ('Esse não entende nada de futebol!'). O problema é que, no meio dos clichês futebolísticos repetidos a cada escanteio, há teses cambaleantes e frangos historiográficos. São esses mitos o alvo do 'Guia Politicamente Incorreto do Futebol'. Com coragem e conhecimento para defender opiniões divergentes, os jornalistas Jones Rossi e Leonardo Mendes Júnior repassam quase tudo o que sabemos sobre futebol. A Seleção de 82 tinha talentos acima da média? É verdade, mas era ingênua e autoconfiante a ponto de mal se preocupar em estudar os adversários. Ok, Galvão Bueno pode não ser um mestre da técnica, mas sua capacidade de transformar o futebol numa novela dramática torna o esporte muito mais divertido. E lembra aquela história da Democracia Corintiana? Bobagem - a Democracia Corintiana era uma ditadura. Depois da história do Brasil, da política da América Latina e do Mundo, é hora de continuar o trabalho. É hora de jogar tomates nas verdades politicamente corretas sobre o futebol.